Pages

Pesquisar este blog

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

TOM CLÉBER FAZ SHOW NO ANIVERSÁRIO DE CINCO ANOS DO BAR PAPO DE BOTECO


O Papo de Boteco, um dos bares mais frequentados de São Luís comemora, nesta quinta-feira (14), cinco anos de existência. Administrado pelo chef Guga, o bar conta com uma bela gastronomia, diversos tipos de bebidas e um ambiente saudável, em que o cliente pode assistir jogos de futebol, lutas de MMA e curtir shows de músicos maranhenses.

E por falar em música, a grande atração do quinto aniversário do Papo de Boteco será o cantor Tom Cléber.Ele promete emocionar o público presente com um repertório recheado de sucessos. Entre as músicas que farão parte do show estão "Diz Coração" e "Indiferença", que fazem parte do 1° CD, intitulado Tom Cleber Voz e Violão. 

“Hoje em dia, nos shows, as pessoas cantam junto. É muito emocionante, só tenho a agradecer a Deus pelo reconhecimento do meu trabalho”, afirma o cantor.

Além dele também estarão presentes os cantores: Gilvan Frazão, Carlos Berg, Marcela Gouveia, William Freire, Léo Djow, Viviane Brasil e a banda Forró com Xote. Todos artistas que animam a noite, durante toda a semana, no Papo de Boteco.

A festa promete ser inesquecível.


segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

ALGUMAS VERDADES SOBRE O CASO "NENZIM", EX-PREFEITO DE BARRA DO CORDA


– Primeira versão de Júnior do Nenzin

No primeiro momento, o filho do ex-prefeito Nenzin, autor do crime, contou que estava numa picape Ranger com o pai e parou para que o ex-prefeito fosse urinar e, nesse momento, ouviu um disparo de arma de fogo. Em seguida Nenzin caiu ferido ainda dentro do carro debruçado sobre ele. Versão essa que logo a polícia descobriu que não passava de uma grande mentira!

– Rodando com Nenzin agonizando dentro do carro até o pai perder os sinais vitais

Júnior só levou Nenzin para o hospital quando teve a certeza que o pai já estava sem os sinais vitais. O veículo com os dois não seguiu direto para o hospital. O carro voltou, seguiu pelo condomínio onde mora os dois, depois foi até a casa de um advogado e só aí segue para o hospital 38 minutos depois do evento com Nenzin agonizando no banco da picape Range.

– Motivo do crime

A polícia informou que Manoel Mariano Júnior, mais conhecido na cidade como “Júnior do Nenzim” ou “Vaqueiro da Barra”, roubou mais de 500 cabeças de gado da fazenda do pai, o ex-prefeito de Barra do Corda-MA, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim. Esse foi o motivo do filho ter decidido, junto com seus comparsas, matar o próprio pai: O medo de ser descoberto!

Em uma das propriedades da família Teles, a Fazenda do povoado Naú, segundo a Polícia, o ex-prefeito Nenzin tinha uma anotação assinada que totalizava 635 cabeças de gado. Assim que notou o sumiço de boa parte do seu rebanho, o ex-gestor marcou de fazer nova contagem na manhã do dia que morreu [quarta-feira, dia 06]. As investigações apontam que restavam apenas uma média de 60 a 80 gados na propriedade. Portanto, um desvio de algo em torno de 500 a 600 animais, equivale a R$ mais de meio milhão, pelo preço atual de mercado.

– Três a cinco pessoas envolvidas

As polícias Civil e Militar prenderam três pessoas diretamente envolvidas no assassinato do ex-prefeito Nenzim, além do filho Júnior, também foram presos Francisco David Correia de Freitas, por ocultação de provas, pois foi ele que levou a caminhonete usada no crime para o Lava Jato e ainda solicitou que fosse feita a lavagem completa, inclusive, com a retirada dos bancos. E também Luzivan Rodrigues da Conceição Nunes, o Luizão, este por sua vez, é o vaqueiro que comandava a Fazenda do povoado Naú e responsável pela venda dos gados desviados. A polícia não descarta outros envolvidos no caso.

– Quem atirou?

Para o superintendente do Instituto de Criminalística do Maranhão (ICRIM), Miguel Alves, o tiro que matou Nenzin foi disparado a queima roupa. “Primeiro verificamos a primeira versão apresentada, e então foi afastada. Em um segundo momento tentamos descobrir onde havia ocorrido o evento, então comprovamos que no interior do veículo haviam manchas de sangue. No exame cadavérico, comprovou-se a distância que o tiro foi efetuado. Algo em torno de 15 centímetros.”, Afirmou.

Segundo o secretário Jefferson Portela, o ex-prefeito foi executado por um disparo de um revólver 38, a curta distância. Na reinquirição do suspeito, a polícia vai tentar descobrir se o disparo foi feito por ‘Júnior do Nenzin’ ou algum dos dois homens presos que estavam dentro do veículo na ocasião do crime.

– Últimas palavras de Nenzin

Pelo que relatou um dos homens presos acusados de participação no assassinato do ex-prefeito, Nenzin, já atingido e no banco do veículo chamou por várias vezes o nome do filho: “Mariano”.

– Banho ‘frio’

Chamou atenção da polícia a frieza do principal acusado. Segundo a polícia, depois de rodar por mais de 40 minutos com o pai agonizando no banco do carro, Júnior deixou Nenzin na UPA de Barra do Corda, e depois, seguiu para tomar banho na sua casa.

– No velório

Pelas informações da cúpula da Secretaria de Segurança Pública, Júnior estava sendo monitorado desde que deixou a missa onde o corpo do pai estava sendo velado. O acusado soube do mandado de prisão ainda no local e, sequer, foi para o enterro que aconteceu num cemitério do município. Na imagem a baixo, o acusado aparece segurando a mão da sua mãe, a viúva Santinha.


– Apresentação em São Luís

O principal suspeito da morte do ex-prefeito de barra do Corda, Manoel Mariano, “Nenzin”, chegou à São Luís no fim da manhã desta sexta-feira (8). Uma aeronave do Centro Tático Aéreo (CTA) trouxe Mariano Júnior, conhecido como “Júnior de Nenzin”, sob forte esquema de segurança.
Chegou a São Luís por volta do meio dia, Manoel Mariano de Sousa Jr., filho e principal suspeito de ser o responsável pela morte do pai, o ex-prefeito de Barra do Corda Nenzin, morto a tiro de revólver, na última quarta feira. O secretário de Segurança Jefferson Portela, acompanhou o caso de perto.


– Repartição da herança.

Na coletiva de imprensa sobre o caso, o delegado Lúcio, superintendente da Delegacia de Homicídios, declarou que foi uma tarefa em tempo curto, graças à integração das equipes de polícia. “Ouvimos pessoas da família e empregados. Chegamos então à conclusão que o crime tinha sido cometido por alguém da família. Analisamos as provas e também constatamos que o Júnior tinha intensão de acelerar também a repartição da herança. As equipes ficaram 12 horas cercando a casa onde ele foi encontrado”. Disse.


– Deputado Rigo Teles

Além da dor da perda do pai e a prisão do irmão, o deputado estadual Rigo Teles (PV) também pode se encrencar. É que dependendo do depoimento do seu irmão, a polícia poderá começar uma nova investigação sobre eventual prática de agiotagem relativa às altas dívidas de campanha eleitoral contraídas em 2016, quando Júnior foi candidato a prefeito e ficou em segundo lugar.

– Preso em Pedrinhas

Júnior de Nenzin vai ficar preso temporariamente em uma das unidades prisionais do Complexo de Pedrinhas. Se houver necessidade, será pedida a prisão preventiva. Ele deve ser levado para audiência de custódia neste sábado (8).

Fonte: Domingos Costa

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

LOJA DE FOGOS DE ARTIFÍCIOS EXPLODE E MATA IDOSO, EM SÃO LUÍS


Um idoso de 70 anos de idade, identificado como José Raimundo Guimarães Gomes, morreu na madrugada desta quinta-feira (7) durante uma explosão em uma loja de fogos de artifício, localizada na rua Riachuelo, no bairro do João Paulo, Região Metropolitana de São Luís. Ele era proprietário do estabelecimento e também morava no local.

As causas da explosão ainda não foram divulgadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão que esteve no local durante toda a noite para conter o fogo que atingiu outras lojas próximas.

Um laudo deve ser expedido pelo Grupo de Atividades Técnicas do CBMMA nos próximos dias.

POLÍCIA INVESTIGA HIPÓTESE DO EX-PREFEITO NENZIN TER SIDO ASSASSINADO PELO PRÓPRIO FILHO


Há fortes rumores em Barra do Corda de que o ex-prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzin, tenha sido assassinado pelo próprio filho Mariano Júnior, o ‘Nenzin Júnior’, ex-candidato a prefeito do município e seu herdeiro político.

Ainda há pouco, horas depois de retornar de Barra do Corda, onde esteve pessoalmente acompanhando as investigações, o Secretário da Segurança, Jefferson Portela confirmou que a polícia já investiga essa hipótese. O secretário não quis dar mais informações, adiantando apenas que “está tudo muito estranho” para ser um crime de pistolagem.

É pública e notória a ‘disputa intestina’ travada em Barra do Corda entre familiares do ex-prefeito, que possui muitos bens. Hoje Mariano Júnior é herdeiro político do pai, e hoje o filho mais próximo de Nenzin.

Momentos depois de Nenzin ser baleado o filho dele, o empresário Pedro Telles, esteve na UPA, para onde o ex-prefeito foi levado, com sintomas de embriaguez e desequilíbrio, acusando o irmão Mariano Júnior de ter cometido o crime.

A presença de Pedro Telles em Barra do Corda chega a causar estranheza, já que ele está com prisão decretada pelo assassinato de um conterrâneo conhecido como Miguelzinho, no início dos anos 2000. Pedro Telles foi julgado, condenado e perdeu todos os recursos impetrados para anular o júri. Com o processo transitado em julgado, o empresário teve a prisão decretada recentemente, mas a Polícia não conseguiu prendê-lo. A informação da decretação da prisão vazou e Pedro Telles se evadiu. Estranhamente, estava na manhã desta quarta-feira na UPA, para onde o pai foi levado, ainda com vida.

Fonte: O Informante


segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

COMISSÃO DE CULTURA APROVA CRIAÇÃO DE FUNDO PARA FINANCIAR MÍDIA INDEPENDENTE

Maria do Rosário: A proposta ajudará a democratizar os meios de comunicação

A Comissão de Cultura aprovou o Projeto de Lei 7354/14, da deputada Luciana Santos (PCdoB-PE), que cria o Fundo de Desenvolvimento da Mídia Independente (FDMI), com o objetivo de financiar programas, projetos e atividades desenvolvidas por veículos de comunicação que integram a mídia independente no País.

O texto define como mídia independente emissoras de rádio e TV comunitárias, incluindo as utilizadas por organizações não governamentais (ONGs) e universidades, as rádios e TVs educativas, produtoras brasileiras regionais independentes e veículos de comunicação de pequeno porte. Os recursos do fundo poderão ser destinados, por exemplo, para a instalação, a manutenção e para a modernização desses veículos, para a contratação de pessoal e para a geração de conteúdo.

O parecer da relatora, deputada Maria do Rosário (PT-RS), foi favorável ao texto. “A proposta ajudará a democratizar os meios de comunicação”, disse. “Ao fomentar o florescimento de mídias alternativas, contribuirá para que a realidade chegue ao público por novos ângulos, novas visões, novas opiniões, engrandecendo o debate público sobre temas importantes para a população”, completou.

Ela lembrou que o texto é fruto dos trabalhos da Subcomissão Especial sobre Formas de Financiamento de Mídias Alternativas, que funcionou no âmbito da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática em 2013.


Produtoras regionais independentes

O texto enquadra como produtoras regionais independentes: microempresas (ME), empresas de pequeno porte (EPP) ou empresa individual de responsabilidade limitada (EIRLI) regidas por leis brasileiras, com sede no Brasil, e que não sejam controladoras, controladas ou coligadas de concessionária de serviço de radiodifusão.

Para ter acesso ao fundo, essas produtoras não poderão manter vínculo de exclusividade que as impeçam de produzir ou comercializar para terceiros os conteúdos audiovisuais por ela produzidos, nem ter sócios com participação em concessionárias de serviços de radiodifusão ou em produtora de conteúdos.

Já os veículos de comunicação de pequeno porte são definidos como ME, EPP e EIRLI que atuem como emissoras de radiodifusão comercial, veículos de imprensa escrita, sites e blogs de internet. A eles também será vedado ter sócios que tenham participação em veículo de comunicação que não seja ME, EPP ou EIRLI.


Recursos

Pelo texto, o fundo será composto por:
- dotações previstas na Lei Orçamentária Anual da União;
- 50% dos recursos arrecadados com a outorga de concessão ou permissão de serviços de rádio e TV comerciais;
- contribuição de 1% sobre a receita operacional bruta, excluídos os impostos, de emissoras de TV a cabo e de emissoras de radiodifusão comerciais que não sejam classificadas como veículos de comunicação de pequeno porte; 
- por porcentagens específicas da parcela paga por concessionárias de serviços de rádio e TV para o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel);
- além de doações e outras fontes que vierem a ser criadas.

O projeto de lei estabelece que cabe ao órgão responsável pela elaboração das políticas de cultura definir e acompanhar a aplicação dos recursos do FDMI, além de propor o orçamento do fundo e prestar contas de sua execução orçamentária e financeira.


Tramitação 

O projeto será analisado conclusivamente pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

PROJETO QUE PREVÊ DEMISSÃO DE SERVIDOR PÚBLICO É DEBATIDO NO SENADO

O projeto polêmico ganhou fama por tocar em um assunto bem discutido há décadas no Brasil: a estabilidade do funcionário público.

Pelo texto, será exonerado aquele que, em dois anos seguidos, não tiver nota acima de 2,9. Ou, em cinco anos, não ultrapasse 4,5 pontos

O projeto de lei que prevê demissão de servidor público estável por "insuficiência de desempenho" será debatido nesta segunda-feira (4/12), na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. A medida polêmica está prevista no PLS 116/2017, e propõe uma avaliação bianual de desenvolvimento de funcionários públicos e aplicação de punições, como o desligamento, caso ele não atinja uma nota aceitável.

Pelo texto, será exonerado aquele que, em dois anos seguidos, não tiver nota acima de 2,9. Ou, em cinco anos, não ultrapasse 4,5 pontos. O conceito “N” significa que o desempenho foi aquém do desejado. O “P” indica que foram cumpridas as exigências de atendimento. E o “S” é para aqueles que superaram as expectativas.

O projeto, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), foi aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) na forma do substitutivo do senador Lasier Martins (PSD-RS). Após ser analisada pela CDH, a proposta ainda deverá ser enviada à Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC).

O projeto ganhou fama por tocar em um assunto bem discutido há décadas no Brasil: a estabilidade do funcionário público. O Brasil tem mais de 11,3 milhões de funcionários públicos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o rendimento médio mensal dos brasileiros que trabalham no setor público é de R$ 3.309. Isso significa um percentual 68% acima do ganho dos empregados com carteira assinada da iniciativa privada, que é R$ 1.965.

Fonte: Correio Braziliense

PROFESSORES PROTESTAM CONTRA "ESCOLA SEM PARTIDO" NA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS


O projeto “Escola sem Partido”, de autoria do vereador Chico Carvalho, continua gerando polêmica. O projeto já foi retirado da pauta para ser melhor discutido em audiências públicas. 

Nesta segunda-feira (27) um grupo de professores esteve na galeria da Câmara Municipal pedindo o arquivamento do projeto.

O vereador Astro de Ogum (PR) saiu da presidência da sessão para dialogar com os professores sobre a temática. Ele marcou uma reunião para esta terça-feira (28) com os professores para discutir a tramitação do projeto.

O vereador Sá Marques se posicionou duramente contra o projeto. “Eu tenho respeito pelo vereador Chico Carvalho. Mas o projeto já caiu em todos os tribunais brasileiros. Este projeto amordaça o professor. Uma crítica política, uma crítica salutar não pode ser tolida. O professor tem que conscientizar o aluno para lutar pelo seu direito. Não existe este negócio de doutrinação. Abra a página da escola sem partido e você vê que é um atormento à liberdade de expressão”, afirmou.

Fonte: Clodoaldo Corrêa